Textos e Artigos

  • Sensualidade e senzala das mulheres negras

Confira o texto de Cristiane Faustino, militante feminista, integrante do Inegra; GT Combate ao Racismo Ambiental/RBJA e Instituto Terramar.

Sensualidade e senzala das mulheres negras

 

  • A Grande Mãe: África!

Poema de Francisca Sena, integrante do Inegra, educadora, militante feminista.

“Das entranhas da mãe África, arrancaram-me

antes mesmo de ser parida.

Sobrevivi!

E por isso mesmo ainda sinto

o calor do seu corpo, seu sangue latejando

e o escuro aconchegante do seu ventre.

Agora estamos cada uma de um lado

separadas por um imenso e verdejante oceano.

Ela na dor, eu no vazio.

Sinto-me orfã!

Feito criança desmamada

entro em agonia e desespero,

Reclamando seus seios grandes e fartos.

Quero você agora,

fonte incessante de amor e alimento!

Quão egoísta sou!

Seu pranto, terra mãe, não é menor que o meu.

Por cada filha e filho seqüestrada/o,

desse vasto e diverso continente,

nessa história mal vivida e não contada,

regada de injustiça, sangue e exploração.

Mas também de resistência, proeza, criatividade

Crença, fuga e espiritualidade.

Uno meu choro e meu canto ao de todas/os negras/os

que rejeitam o projeto branco ocidental.

Que desprezam esta “ajuda” e atenção

mascarada de modernidade e desenvolvimento.

Que anseiam autonomia, respeito, poesia e pão!

Minha grande utopia

é um dia pisar seu chão,

saciar a sede e comer seus frutos,

ouvir seus tambores, apreciar suas cores,

deliciar-me nos seus sabores

Quero voltar ao berço e viver segura ao seu lado,

permanecendo ali, mesmo que a morte chegue,

alimentando a terra com meu corpo.

Bendita seja aquela terra!

E garanta vida em abundância para sua descendência,

para que reconstruam sua beleza, melodia e vitalidade,

Perpetuando, assim, a dimensão sagrada

da Grande Mãe: África!”

Anúncios
2 Comentários

2 opiniões sobre “Textos e Artigos

  1. José Ailton santos

    O racismo ,não está na cor .
    Mas nos olhos do preconceito .
    No coração do homem .
    Homem: pobre animal irracional .
    A cor da pele não te faz diferente .
    mas especial ,único .
    Não somos uma raça ,somos uma nação !
    Parte do sistema .
    somos : “o bloco dos excluídos “.
    Querendo gritar ,desatar o nó da repressão .
    Rasgar o verbo ,desparar palavras .
    Somos : “o exército dos figurantes”.
    Que cansaram de serem escondidos por trás das câmeras .
    Querendo sentir o gosto do protagonismo .
    Nossas armas não matam ,mas deixam feridos .
    Ferimos os olhos dos que nos odeiam .
    Não usando balas ,mas a nossa verdade .
    Dizem que a verdade dói ,mas a mentira machuca mais .
    A dignidade parece uma flor ,que não desabrochou .Mas também não morreu .
    o sol nasce pra todos ,mas a sombra só para alguns .
    Minha consciência é negra .
    Não minha cor ,não minha pele .(a pele é a roupa da alma ) .
    A ALMA NÃO TEM COR (LUTHER KING ).
    sou Luther King ,Mandela,Zumbi,Pelé…
    Sou negro,branco,amarelo,vermelho …sou BRASIL !
    Que amanhã ,o mundo acorde menos injusto .
    Pra que eu possa dormir mas digno .

  2. José Ailton santos

    POEMA PRETA
    Eu, mulher negra, nascida escrava, sem nação definida,
    sofri na carne,
    na alma e em todas as reentrâncias, a fúria humana, desumana, insana,
    que vocês talvez, espero, nunca tenham sentido, sintam, sentirão.
    Um pouco dessas marcas estão aqui, sob forma de palavras.
    Da mulher fez-se o homem
    e deles o verbo e a dominação.
    Eu, da palavra quero a libertação

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: